domingo, 31 de outubro de 2010

Ensino Superior a Distância





Não muito recentemente, uma nova modalidade de ensino tem despontado em diversas universidades brasileiras e, sem dúvida alguma, está mudando os rumos da educação no país. Com a utilização de sistemas de ensino-aprendizagem versáteis e disponíveis para estudo através da internet, de modo revolucionário, tem integrado e formado milhares de novos profissionais em todas as áreas de conhecimento, especialmente na formação de professores. É assim que a modalidade de Ensino a Distância está conquistando cada vez mais adeptos em todo o Brasil.

No alvorecer dos anos 2000, as universidades públicas brasileiras começavam a perder quórum - fosse por falta de vagas ou não - para as diversas instituições particulares de ensino que surgiam pelo Brasil a fora, algumas delas, baseadas apenas na obtenção de lucro. Essas novas faculdades, que ora comercializavam o ensino como uma espécie de produto ou serviço, acabaram, por assim dizer, "democratizando" o acesso ao saber. Entretanto, a qualidade do serviço prestado por vezes fora questionada em vários debates sobre o assunto.

Diante do surgimento desse inexorável potencial de trabalho, muitas instituições públicas de ensino superior têm adotado meios eficientes e democráticos para oferecer Educação a Distância - EAD - sem custo algum para os alunos. Tais iniciativas só se tornaram viáveis através de consórcios e programas governamentais específicos que visam, sobretudo, a retomada da destinação institucional das universidades públicas, que é, antes de qualquer coisa, a democratização do conhecimento. Agora, lançando mão de importantes recursos tecnológicos e de novas mídias de informação disponíveis, vislumbra-se solucionar o grave problema da escassez de vagas na universidade frente ao aumento da demanda de alunos.

Contudo, ainda há arestas que devem ser aparadas. Como em qualquer sistema, limitações encontradas, tanto pelos alunos quanto pelos próprios tutores, por vezes, podem causar dificuldades de comunicação e obscurecimento de alguns conceitos importantes durante o processo de ensino-aprendizagem. Ainda com relação aos alunos, as deficiências instrumentais específicas em disciplinas básicas dos cursos, bem como a impossibilidade de acesso às diversas plataformas de EAD existentes e, até mesmo, a famigerada exclusão digital podem dificultar ainda mais o progresso nos estudos a distância. Portanto, é preciso muito empenho, disciplina e perseverança de todas as partes envolvidas para solucionar tais questões. Sendo assim, ainda há muito trabalho a fazer para que o Ensino Superior a Distância se torne realmente inclusivo e eficaz em nosso país.
Marlon M4